quarta-feira, 7 de julho de 2010


Eu não trocaria os risos de meu coração pelas fortunas das multidões; e não ficaria contente de transformar em calma as lágrimas provocadas pelo meu eu angustiado. Tenho a ardente esperança de que minha vida nesta terra seja até o fim tecida de lágrimas e risos.
Lágrimas que me purificam o coração e me revelam o segredo da vida e o seu mistério.
Risos que me levam mais para perto dos homens, meus irmão;
Lágrimas com que me uno e aos que sofrem, Risos que simbolizam a alegria pela minha própria existência. Prefiro mil vezes a morte por meio da felicidade à vida em vão e desespero.
Meu desejo é uma ânsia eterna de amor e de beleza; sei agora que os que só possuem riquezas são miseráveis, mas para meu espírito suspiros dos amantes são mais doces que os acordes da lira. 

Gibran Khalil Gibran.

Nenhum comentário: