sexta-feira, 23 de abril de 2010

Francisco de Aquário. Fernando de Leão. Francisco fazia faculdade. Fernando fazia nada não. (...) Fernando vestia Jeans. Camiseta branca. Com um desenho de não o quê. Francisco vestia Jeans. Camiseta. A cor não lembro mais. Seus olhos, azuis. Cor-de-mar. Cor-de-céu. Essa era a única cor que pudera lembrar. (...) Fernando gostava de chá. Com leite. Francisco gostava de café. Preto, forte. Amargo. Fernando gostava de Maria Bethânia, e Nara Leão. Francisco gostava de eletro. Rock. E dormia de samba-canção. (...) Francisco sorriu. Fernando surpreso retribuiu. Aproximaram-se. E deram-se as mãos.

(....)

- Acredita em amor á primeira vista?
- Agora, sim.
- Acredito em nós.
(...)
- Por que não falou comigo nas outras vezes?
- Tinha medo de não ser um começo.
- E esse é o fim?
- Talvez.
(...)
Sorriam juntos. Felizes. Até que.

- Me ama?
- Te amo. E você, me ama?
- Hoje. Amanhã. Depois. E sempre.
(...)

(Tiago J.)

Um comentário:

tuâny disse...

É simples e tão intenso.