quinta-feira, 18 de novembro de 2010


Nas despedidas
O mais doloroso é que
- tanto o que fica como o que vai embora -
Poem-se os dois a pensar:
"Meu Deus! quando é que parte o raio deste trem!"

(Mário Quintana in "Velório sem defunto.")

2 comentários:

Julie disse...

Meu deus, como eu odeio despedidas!

Atualiza amor!
Beijo

Palavras Eternizadas em pingos de Luz! disse...

Gadê... tem presente pra vc lá no eternizado... corre lá

abraços